Sobre

Olá, sobre mim o que tenho para dizer, é que não sou mestrada nem doutorada em nada, para além da experiência que tenho da vida. Tenho uma licenciatura mas essa não sou eu. Sempre fui curiosa quanto aos “mistérios” da vida, quem somos, de onde vimos, para onde vamos.

Desde a minha adolescência, senti um grande vazio na minha vida, andei sem norte durante muito tempo, e fazia o que os outros faziam, sem saber muito bem porquê. Bem, sabia que tinha de estudar para tirar um curso para poder trabalhar e ganhar dinheiro a fim de poder pagar as contas sem ter de pedir. Sabia que tinha de comprar a roupa x ou y porque estava na moda e fazia furor ao lado das minhas amigas. Sabia que tinha de casar e ter filhos, para dar continuidade aos costumes sociais, etc., etc.,.

Aos 35 anos entrei numa crise profunda, ataques de pânico, stress acomulado sentimentos de inferioridade e sempre sempre aquele vazio constante na minha alma. Procurei muitos tipos de ajuda, psiquiatra, reiki, hipnose de regressão a vidas passadas, astrologia kármica (quando tive o primeiro click) as coisas começávam a fazer sentido dentro de mim. Mas não bastáva. Mas então qual era a verdade!! Comecei a ler compulsivamente todos os livros de auto-ajuda, foi quando encontrei um livro de palestras de um grande mestre espiritual com o pseudónimo de OSHO, onde sim, tornei-me inteiramente fã. OSHO faláva no poder da meditação, para que conseguíssemos alcançar a consciência. Que a consciência estáva para além da mente e dos pensamentos. Nós não somos a nossa mente nem os nossos pensamentos, somos muito mais do que isso. Ele dizia que se conseguíssemos meditar e auto-observar os nossos pensamentos durante uma hora conseguíamos alcançar a tão almejada consciência.OSHO faláva do amor como o princípio de tudo, da alegria, coragem, da liberdade, a tão linda liberdade. Foi inspirador e verdadeiro, essa era a verdade, fiz retiros de meditação que transformaram a minha vida, mas o vazio lá estáva, a auto-observação sem pensamento era difícil, quantas vidas teria de tentar. Não é justo!!!

Anos passaram quando tirei o curso Programação Neuro Linguísta, em que nós podemos reprogramar a nossa mente, de traumas e crenças que tenhamos tido no passado e reprograma-los para crenças positivas. Não foi de imediato mas começou a resultar, e comecei a ver a vida de outra maneira, e todo o meu universo mudou. Falta de amor próprio, falta de auto-estima o tal vazio incessável foi finalmente preenchido, porque eu SOU SUFICIENTE!!!

Ana

%d blogueiros gostam disto: